Lifestyle

É preciso mudar!

  • Setembro 13, 2018

São precisamente 00h34 e acabei de chegar do cinema. Fui ver um filme que estreia amanhã (ou hoje que já passa da meia noite). Chama-se Do Jeito que Elas Querem. É uma comédia.

Inspirei-me para escrever. Revi-me em muitas acções deste filme. Nós só devemos depender de nós. Ainda não vos contei (muitos já perceberam) mas a minha relação terminou há 6 meses. E agora já consigo perceber que foi o melhor. Eu vivia para ele e anulei-me. Não fazia nada sem ele. É o amor, dizem. 

Deixei de ser a Cristiana, independente, astuta, com objectivos para ser a namorada do Alexandre. Estava confortável. E nunca queremos ver que estamos mal. 

Isto para vos dizer que não fazia nem queria fazer nada sozinha. E quando digo nada, é, nem sequer ir ao supermercado que fica a 5 minutos a pé aqui de casa. Tudo mudou quando ele saiu de casa. Tudo mesmo! Mas mudou porque eu quis. Porque se eu não tivesse querido, continuaria a não fazer nada. Os meus amigos e família notaram. É bom ouvir de alguém: Estás muito mais desenrascada. Boa Cris. Agora já consegues apanhar um autocarro e ir à tua vida. E é mesmo isto.  Tudo o que não fazia quando estava com ele passei a fazê-lo agora. E nem imaginam a liberdade que sinto. 

Hoje, o cinema foi no Vasco da Gama, na outra ponta da cidade. Há 6 meses nunca teria saído do trabalho, apanhado um autocarro até à estação e depois ainda apanhado um comboio até Oriente. Porque era longe, porque demorava, porque às 20h já começa a escurecer. Teria arranjado mil e uma razões para não ir. Mas hoje fui. E nos últimos 6 meses tenho ido a todo o lado. Não me tenho recusado a nada. E sabem? Que bom que é. Viver. Aproveitar tudo o que a vida e este blog me dão. 

Tenho conhecido espaços giros. Não importa se é tarde. Não importa se tenho de vir fazer o almoço do dia a seguir. Nem que tenha de me levantar mais cedo para o fazer. No Domingo cheguei do Algarve às 21h e convidaram-me para jantar. Eu fui. Gostei e diverti-me. Se tive sono no dia a seguir? Tive. Mas valeu a pena! 

Tenho eventos a seguir ao trabalho. Vamos lá! Vou de noite para casa? Sim, e vou morrer por isso? Não! Passei a aproveitar cada minuto das 24h que o dia me dá. E não é que sou mais feliz? 

Se há coisa que nunca mais me vou privar é desta minha liberdade. E de fazer tudo por mim e nunca por ninguém. Nós somos as pessoas mais importantes da nossa vida.

Agora vou só dormir umas 6 horinhas, que amanhã é dia de trabalho e à tarde esperam-me novidades em casa. 🙂

 

3 Comentários

  • PAULA RIBEIRO

    Gostei!!

    Responder
  • Renata Batista

    Olá Cristiana!!

    Adorei o teu “desabafo”, tudo na nossa vida serve para aprendermos e crescermos com essa aprendizagem….evoluimos!! E isso nota-se em ti…tudo de bom! Bjos grandes 🙂

    Responder
  • Xénia Silva

    Revi-me em cada palavra! É incrível como esquecer-mo-nos de nós por vezes pode ser tão” fácil “e tão cómodo…quando deve ser precisamente o contrário! A vida é uma aprendizagem e nada acontece por acaso. Dar a volta, viver, liverdade, amor próprio…devem ser sempre uma prioridade.
    Bom post 😉

    Responder

Deixe um comentário